Serviço de Leitura de Sábado

Self-Realization Fellowship

CENTRO DO RIO DE JANEIRO

 

 

LEITURAS PARA SERVIÇOS
ENSINAMENTOS DE PARAMAHANSA YOGANANDA

 

FAÇA DE SUA MENTE UM TEMPLO DE DEUS
MAKE YOUR MIND A TEMPLE OF GOD

 

Volume I/34

Rio de Janeiro 16 de setembro de 2018

 

AFIRMAÇÃO

Em vez de permanecer distraído, pensarei em Ti. Ensina-me a pensar em Ti até que sejas meu único pensamento.

Meditações Metafísicas

PASSAGEM DA BÍBLIA – EVANGELHO DE SÃO JOÃO

Nesse ínterim, os discípulos lhe rogavam, dizendo: Mestre, come!
Mas ele lhes disse: Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis.
Diziam então os discípulos uns aos outros: Ter-lhe-ia porventura, alguém trazido o que comer?
Disse-lhes Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra.

(4:31-34)

Comentário da Bíblia por Paramahansa Yogananda

 Os discípulos pensaram, erroneamente, que Jesus já tinha se alimentado, quando disse: “Uma comida tenho para comer que vós não conheceis.” O alimento comum nutre temporariamente o corpo perecível e dá um prazer passageiro, que surge do sentido do paladar. Jesus queria dizer a seus discípulos que, embora aos olhos humanos seu corpo necessitasse de alimento, seu verdadeiro Ser provava o maná eternamente nutritivo e sempre satisfatório da Sabedoria Divina, e da sempre nova Bem-aventurança celestial. Os discípulos não sabiam como nutrir a alma dessa maneira.

Geralmente, o primeiro pensamento que surge na consciência de uma família materialista, ao despertar pela manhã, é o do desjejum. E o último ritual, antes de dormir, é o “lanche da meia noite”. Na Índia, primeiro as famílias espirituais bebem, pela manhã, o néctar da Alegria na taça da contemplação profunda, e à noite, antes de se recolher, ouvem internamente a voz da Paz Divina cantar suavemente, convidando-os a descansar em Seu regaço.

Ao acordar pela manhã, antes de dormir à noite e durante as refeições, as pessoas devem purificar sua consciência material com o pensamento em Deus. O propósito é permanecer no mundo, mas não pertencer ao mundo. Permanecer sem apegos, como a gota do orvalho na folha de lótus e sempre pronto a mergulhar a consciência no oceano divino, é ser realmente feliz. A gota de orvalho não pode deslizar num mata-borrão. Da mesma forma, a pessoa comum não consegue manter a mente livre e ir em direção ao Espírito, se se associar frequente e exclusivamente a pessoas cujos fortes apegos mundanos as mantêm absortas no plano material.

Jesus repudiou a ideia do alimento, não porque pensasse que não necessitava comer, e sim porque desejava mostrar a seus discípulos que a consciência do homem devia permanecer predominantemente em Deus, o alimento que tudo satisfaz, e não em uma dieta material que apenas alimenta o corpo.

 

PASSAGEM DO BHAGAVAD GITA

 Permanecendo imerso na yoga (união com o Espírito pela meditação), executa todas as ações, esquecendo o apego aos resultados. Permanece indiferente ao sucesso e ao fracasso, enquanto realiza todas as ações. O equilíbrio mental, durante todas as etapas das atividades que resultam em sucesso ou fracasso, é denominado yoga.

(II:48)

Comentário do Gita por Paramahansa Yogananda

O devoto deve executar todas as atividades com a mente imersa em Deus. Aquele que assim executa todas as ações acha-se no estado de liberdade, tal como o Pai Celestial age em toda a Criação, sem apegar-se ou ser limitado por ela. A consciência divina manifesta-se em todos os estados de criação, preservação e destruição; no entanto, continua imutável. Assim como Deus permanece impassível no cosmos, sem se perturbar com a sua variedade, assim também o ser humano, feito à imagem divina, deve aprender a trabalhar e a apreciar o drama cósmico, mantendo a mente perfeitamente equilibrada e estável.

Dotado de livre-arbítrio, é comum o homem usar mal a sua independência, identificando-se com o transitório corpo. Ele deve treinar a mente, passando da inquietude à percepção da imutabilidade. Quando está inquieto, o indivíduo comum percebe apenas o universo tumultuado. O ser que segue a arte da yoga – ou seja, a tranquilidade interior – percebe o Espírito imutável.

 

ONDE A MENTE DEVE PERMANECER
(Histórias de Assim falava Yogananda)

Paramahansaji estava falando a um grupo de discípulos. Um devoto, aparentemente atento às palavras do guru, deixava que seus pensamentos vagassem. Quando chegou a hora de se recolherem, o Mestre voltou-se para ele e comentou:

– A mente é como um cavalo; é bom amarrá-lo para que não fuja.

*

Dois estudantes chegaram à Sede Central de Mount Washington para receber treinamento. Os outros devotos tiveram a melhor impressão deles. Contudo, em pouco tempo, os dois estudantes foram embora. O Mestre disse aos residentes da ermida:

– Vocês ficaram impressionados com as atitudes deles, mas eu estava observando o que pensavam. Externamente, seguiam as regras. Internamente, porém, estavam descontrolados. A boa conduta não dura muito tempo, se não adotarmos meios adequados para purificar a mente.

*

– Evitem ver a vida pelo lado negativo – disse o Mestre a um grupo de discípulos. – Por que olhar os esgotos, quando há encanto à nossa volta? Pode-se achar alguma imperfeição até nas maiores obras de arte, música ou literatura. Mas não é melhor apreciar o encanto e o esplendor que nelas existe?

– A vida tem um lado iluminado e outro sombrio, pois o mundo da relatividade é composto de luz e sombras. Se permitir que seus pensamentos se fixem no mal, você mesmo se tornará feio. Procure ver apenas o bem em tudo, para que possa absorver a qualidade da beleza.

* * *

 

ESFORÇO-ME VALENTEMENTE EM DIREÇÃO A TI

 Ó Eterna Estrela Polar! Onde quer que eu vá, a agulha magnética da bússola de minha mente sempre aponta em direção a Ti.

Ainda que açoitado pelas rajadas da sorte, ou encharcado pelas chuvas do infortúnio, mantenho sempre a mente em Teu rumo.

O pássaro de meu amor, mesmo voando entre nuvens de confusões, tempestades de distrações e vendavais do destino, infalivelmente descobrirá o caminho que leva a Ti.

(Sussurros da Eternidade)

* * *

 

FAÇA DE SUA MENTE UM TEMPLO DE DEUS
Paramahansa Yogananda

Se quiser mudar suas condições, mude seus pensamentos. Já que somente você é o responsável pelo que vai em sua mente, é o único que pode mudar seus pensamentos. Com certeza há de querer mudá-los, quando compreender que os pensamentos criam condições, de acordo com a natureza que possuírem. Lembre-se: a lei age o tempo todo, e suas palavras e ações demonstram continuamente a qualidade dos pensamentos que você costuma nutrir.

O bicho da seda tece fios em torno de si mesmo, formando um casulo, mas antes que ele saia do casulo sob a forma de mariposa, o sericultor o apanha. Assim, a mariposa encontra a morte na prisão de seda que ela mesma criou. Os seres humanos agem exatamente assim. Antes que as asas da espiritualidade cresçam, tecemos fios de medo, preocupação e ignorância em volta de nós mesmos, até que a doença e a morte venham nos destruir. Encontramo-nos na prisão que nós mesmos criamos. O que ocasiona essa destruição? Os próprios pensamentos e a maneira errada de viver – agimos sem pensar primeiro. Devemos ressuscitar a nós mesmos dos mortíferos pensamentos da ira, do egoísmo tolo e insano, e do tumulto de uma vida desarmoniosa.

Se pudéssemos compreender o efeito das sobrecargas que, muitas vezes, colocamos na mente, ficaríamos admirados de não ter tido um colapso há muito tempo. Pressionada por toda a espécie de preocupação e ansiedade, a mente fica excessivamente pesada. Como resultado, o medo se infiltra, fazendo com que percamos a serenidade mental e o equilíbrio espiritual. O problema é que, em vez de viver só no presente, também tentamos viver no passado e no futuro ao mesmo tempo. Esses fardos são pesados demais para a mente; por isso, devemos restringir o volume de carga. O passado já se foi. Por que continuar a carregá-lo em sua mente?

Deixe a mente cuidar de uma carga por vez. O cisne ingere apenas o conteúdo sólido do líquido que sorve pelo bico; do mesmo modo, só devemos conservar, do passado, as lições que aprendemos, esquecendo os detalhes desnecessários. Isso aliviará em muito a mente e eliminará as preocupações. A preocupação pode ser comparada a um inseto que devora uma flor por dentro. Quando, por fim, as pétalas se fecham, tanto o inseto como a flor morrem. A preocupação consome toda a vitalidade interior da pessoa, sem seu conhecimento consciente. Quando despertamos para o que está acontecendo, já foi feito o estrago, que pode afetar profundamente o sistema nervoso.

Não só as calamidades pessoais, como também as calamidades mundiais, são ocasionadas pela soma total dos múltiplos pensamentos humanos negativos. Os pensamentos são como palavras que emitem vibrações boas ou más, de acordo com sua característica. Na Natureza, todo acontecimento é consequência dos pensamentos da criação. Todos estamos indissoluvelmente unidos e estreitamente ligados a um destino comum. Nossos pensamentos não afetam somente nossa vida pessoal: ajudam a aprisionar ou libertar o mundo em geral. Temos fome e vemos todas as forças da natureza – a terra, o sol, o vento e a água – trabalhando juntos para produzir nosso alimento. Quanto mais espiritualmente civilizados nos tornarmos, mais controlaremos a natureza. Quando, porém, o dono da casa – a civilização – dorme, o servo – a natureza – se rebela.

As vítimas de uma calamidade merecem solidariedade universal. Como raça humana, somos todos responsáveis e devemos ajudar os irmãos desamparados, assim como acolheríamos bem esse tipo de ajuda, se estivéssemos em idênticas condições. Thomas Kempis disse um dia, apontando para um criminoso condenado: “Se não fosse pela graça de Deus, ali estaria eu”. Isso é verdade, sob certo ponto de vista. Todavia, do ponto de vista universal, nós bem podemos dizer de todo ser humano: “Ali vou eu”. Não somos criaturas, mas criadores deste universo. Nossos pensamentos e ações têm contribuído, através dos tempos, para gerar maremotos, incêndios florestais e erupções vulcânicas, mas também floresceram em gigantes espirituais, em crianças de coração puro e nas delicadas pétalas das flores.

O homem pode levar a vida com a mente focalizada na matéria, no pensamento ou na consciência pura, que está além do pensamento. Num padrão de vida predominantemente material, as maiores alegrias e tristezas da vida são negadas ao homem. Quando o padrão evolui da matéria para a consciência, a vida mais elevada começa a desenvolver-se, com toda a felicidade resultante.

Viva com pensamentos ideais

Viva, portanto, com pensamentos ideais. Modele suas atividades de acordo com esses padrões, em vez de permitir-se ser empurrado a esmo pelos impulsos da vida, em todas as direções, sem qualquer objetivo definido ou real. Haja o que houver, tente sempre obter o controle completo de seus pensamentos. O que você pensa constrói ou destrói sua vida, infalivelmente. Você é o criador, o preservador, o transformador de sua vida, e a vontade é a diretora. Entretanto, nunca esqueça que você é o diretor de sua vontade. Todas as coisas, todas as condições, todo o tempo, todas as qualidades mentais e todas as emoções são apenas bens temporários que você adquiriu. Só você continuará.

Estimule o raciocínio correto e aumente o poder mental das seguintes maneiras:

1 – Leia bons livros e assimile cuidadosamente o que transmitem.

2 – Se ler durante uma hora, escreva durante duas horas e medite três horas.

3 – Ocupe a mente com idéias inspiradoras. Não perca tempo com pensamentos negativos.

4 – Adote o melhor plano que puder para sua vida, com o uso do raciocínio.

5 – Estude as leis mentais descritas nos ensinamentos da Self-Realization Fellowship.

6 – Use trechos do meu livro Afirmações Científicas de Cura, pronunciando-os com a força da alma. Psicólogos antigos e modernos enfatizaram que a inteligência inata do homem é capaz de expansão infinita.

7 – Obedeça às leis físicas, sociais e morais, acreditando que são controladas por uma lei espiritual superior. Ao respeitar as leis menores, você finalmente se erguerá acima das limitações que impõem, e será totalmente dirigido pela lei espiritual.

Eleve a mente pensando em Deus

Por que limitar-se aos muros de uma pequena família, esquecendo o elo eterno entre você e a família cósmica? É Deus quem está por trás de todas as coisas e lhes dá vida. Por trás da lua está a Lua maior; por trás do sol está a vitalidade de Deus; por trás do homem está a Inteligência Divina. Então, por que limitar-se? Coloque sua mente em Deus. Gradativamente, receberá pequenos vislumbres de luz. Com o tempo, se sentirá em cada átomo do espaço, e sentirá alegria ilimitada. A alegria e Deus são um. A alegria é a cura que você deseja em primeiro lugar; a cura da ignorância da alma. Você terá que se livrar definitivamente do corpo físico, lançando-o ao pó; portanto, pense no Espírito.

Para onde quer que gire uma bússola, a agulha sempre se volta para o Polo Norte; assim, não importa que seu corpo esteja sofrendo – a agulha de sua mente deve estar sempre voltada para Deus. Assim, você perceberá a presença do Uno Imperecível em seu corpo. Compreenderá que sua responsabilidade se estende não apenas à sua família e ao mundo, mas também, e principalmente a Deus, pois o Ser deve redimir o Ser. Os grandes Mestres da Índia demonstraram que encontraram a existência do Ser para além da destruição do corpo.

Assim, mantenha a mente em Deus, o tempo todo. Não lute contra Deus; lute contra a ignorância. Faça de sua mente o templo de Deus e O encontrará ali. Você estará unido ao Sustentador do Universo.

* * * * * *

Trechos da Bíblia: Versão de João Ferreira de Almeida
Trechos da Autobiografia de um Iogue: Tradução oficial                    Rio de Janeiro – Cópia 2004/05/08\11/14/17

 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
O material Self-Realization Fellowship Readings(Leituras para serviços da Self-Realization Fellowship) foi selecionado de publicações da SRF, com reserva de direitos autorais da Self-Realization Fellowship. Este material não pode ser traduzido para nenhum outro idioma, reproduzido sob qualquer forma ou distribuído, sem autorização da Self-Realization Fellowship, 3880 San Rafael Avenue, Los Angeles, Califórnia 90065, EUA.

Observação: esta é uma tradução não-oficial. Não foi revista nem aprovada pela Sede Central.