Serviço de Leitura de Sábado

Self-Realization Fellowship

CENTRO DO RIO DE JANEIRO

 

 

LEITURAS PARA SERVIÇOS
ENSINAMENTOS DE PARAMAHANSA YOGANANDA

 

 

VIVA COM O PENSAMENTO SEMPRE EM DEUS
LIVE IN CONSTANT REMEMBRANCE OF GOD

 

 

 

Volume III/40
Rio de Janeiro, 24 de outubro de 2020

 

 

AFIRMAÇÃO

Ó Espírito Divino, eu Te buscarei até encontrar-Te. E quando isso acontecer, receberei, com reverência, as dádivas que quiseres que eu receba. Mas nada peço, ao longo da eternidade, a não ser a dádiva completa de Ti mesmo.

(Meditações Metafísicas)

 

PASSAGEM DA BÍBLIA – EVANGELHO DE SÃO MATEUS

Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.

(4:17)

 

Comentário da Bíblia por Paramahansa Yogananda

Muitas pessoas procuram o vasto Reino de Deus nas nuvens, num ponto do espaço, longe das emanações nocivas e perniciosas da Terra. Esquecem que a imensa e eterna terra da onisciência divina está bem próxima. Sempre que você fecha os olhos, elimina a terra da finitude e da matéria. Diante da visão interior do homem espiritualmente desenvolvido estende-se a terra da eternidade, com camadas e mais camadas de paisagens infinitas.

Quando o homem se arrepende da insensatez de olhar constantemente para o cosmos finito e fecha os olhos e medita com constância, percebe a terra da infinitude dentro de si mesmo. Arrepender-se significa compreender a loucura de viver com a atenção voltada para a matéria. O sábio se arrepende porque conhece o sofrimento resultante do contato com a matéria. Toma, então, uma decisão, primeiro acreditando no reino interior, e depois, com a meditação constante, percebendo o reino de eternidade bem próximo, dentro de si mesmo.

Antes de mais nada, é preciso acreditar na mensagem divina conforme anunciada pelos santos, arrependendo-se da loucura do apego à matéria. Depois, é preciso meditar continuamente. Com isso, é certo que você encontrará, dentro de si mesmo, o Reino de Deus que buscava nas nuvens.

 

PASSAGEM DO BHAGAVAD-GITA

O Bhagavad Gita ressalta que, pela prática da yoga, é possível perceber o eterno Reino de Deus.

Quando a tua mente, confundida pelas diferentes escrituras, estiver seguramente ancorada no êxtase da bem-aventurança espiritual, terás alcançado a união suprema (yoga).

 (II:53)

 

Comentário do Gita por Paramahansa Yogananda

Todas as escrituras genuínas revelam as mesmas verdades sobre o Espírito. O Velho e o Novo Testamento da Bíblia, os Vedas hindus e todas as outras escrituras autênticas sempre repetem a mesma coisa – a união indissolúvel que existe entre Deus e o ser humano. As aparentes diferenças nas revelações existem apenas superficialmente, causadas pelas influências raciais e culturais da época dos profetas. Cada uma entoa um hino próprio sobre o Infinito.

A unidade de todas as verdadeiras escrituras só é percebida pelo devoto com a intuição desenvolvida na meditação. Quando tenta compreender as várias revelações com os limitados poderes da lógica, o devoto se perde na selva da teologia.

 

* * *

 

O MELHOR LUGAR PARA ACHAR DEUS

Durante toda a infância, Paramahansa Yogananda sempre quis muito ir para as montanhas do Himalaia, devotando a vida à solitária busca de Deus. O desejo permaneceu, mesmo depois de ter encontrado seu guru, Swami Sri Yukteswar. É Yogananda quem faz o seguinte relato:

– Por favor, dê-me sua permissão para ir ao Himalaia. Espero, na solidão imperturbável, atingir a contínua comunhão divina.

Eu realmente dirigi essas ingratas palavras a meu Mestre. Acometido por uma das ilusões imprevisíveis que ocasionalmente assaltam o discípulo, sentia crescente impaciência com os deveres do eremitério e os estudos da faculdade. Circunstância fracamente atenuante é que o pedido foi feito após apenas seis meses de convivência com Sri Yukteswar. Eu ainda não avaliara plenamente sua incomensurável estatura.

– Muitos montanheses vivem no Himalaia e, contudo, não possuem a percepção de Deus. – A resposta de meu guru veio, lenta e simples. – Procura-se melhor a sabedoria por intermédio de um homem de consciência divina do que por meio de uma montanha inerte.

Ignorando o claro sinal do Mestre de que ele, e não uma montanha, era meu instrutor, repeti o pedido. Sri Yukteswar não se dignou mais a responder. Tomei seu silêncio como consentimento – uma interpretação precária, mas conveniente.

[Depois deste incidente, o jovem Yogananda realmente partiu de Calcutá para o Himalaia. No caminho, visitou o santo Ram Gopal, um grande discípulo de Lahiri Mahasaya, que estava em Rambajpur. Ram Gopal é quem fala agora, quando retomamos a história.]

– Jovem yogue, vejo que está fugindo de seu mestre. Ele tem tudo o que você precisa; deveria regressar a ele. – E acrescentou: – As montanhas não podem ser seu guru. – O mesmo pensamento que Sri Yukteswar expressara dois dias antes.

– Os mestres não estão sob a obrigação cósmica de viver apenas nas montanhas. – Meu companheiro examinou-me com olhos zombeteiros. – A cordilheira do Himalaia, na Índia e no Tibete, não tem o monopólio de santos. O que alguém não se dá ao trabalho de procurar dentro de si, não será descoberto transportando o corpo de lá para cá. Mas assim que o devoto se dispõe a ir até o fim do mundo atrás de iluminação espiritual, seu guru aparece bem próximo.

Silenciosamente concordei, relembrando minha prece no eremitério de Benares, seguida pelo encontro com Sri Yukteswar, na rua repleta de gente.

– Você dispõe de um quarto pequeno onde possa fechar a porta e estar sozinho?

– Sim. – Refleti em como este santo descia do geral ao particular com velocidade desconcertante.

– Essa é a sua caverna. – O yogue lançou-me um olhar de iluminação que jamais esqueci. – Essa é a sua montanha sagrada. Ali é onde encontrará o reino de Deus.

Suas palavras simples baniram instantaneamente minha longa obsessão pelo Himalaia. Num abrasador campo de arroz, despertei de meu sonho de montanhas e neves eternas.

(Autobiografia de um Yogue)

 

* * *

 

TU ME BATIZASTE NO DILÚVIO DE TUA GRAÇA

O sangue ancestral em minhas veias e o leite de minha mãe foram as águas de meu batismo na consciência física.

A alma, confinada em frágil moldura, gritou pela liberdade. No jardim cercado dos mesmerizantes sentidos, eu não mais amava viver.

E, então, a nuvem de Teu silêncio explodiu, ó Senhor! Suas gotas misericordiosas caíram sobre mim e se tornaram um dilúvio de graça divina. O rio de Teu Espírito ultrapassou as fronteiras de minha alma, batizando-me nas venturosas águas da eternidade. A pequena bolha de meu ser se dissolveu, fundindo-se em Teu mar onipresente.

(Sussurros da Eternidade)

 

* * *

 

VIVA COM O PENSAMENTO CONSTANTE EM DEUS
Paramahansa Yogananda

Deus não é simplesmente um nome. É a vida que nasce dentro de nós, a Vida por meio da qual nos vemos e amamos mutuamente. Por um curto período de tempo, nós nos contemplamos aqui.

“Hoje” nada mais é do que um pensamento divino, um momento na Eternidade. E vezes sem conta Deus me mostrou que a criação inteira consiste apenas de seus pensamentos-sonho.

Vivemos em estado onírico. O único modo de acordar é recusar-se a reconhecer qualquer outra coisa, além de Deus, como realidade. Do contrário, você afundará até os joelhos na lama de sofrimentos causados por você mesmo, várias vezes, até compreender que nem o azar, nem a sorte, são reais – só Deus é real. Só então todas as ilusões terrenas (doença e saúde, alegria e tristeza, vida e morte) passarão.

Tantas pessoas já viveram neste mundo e foram embora e, no entanto, vivemos como se fôssemos ficar aqui para sempre. Sábio é somente a pessoa que vive com o pensamento constante em Deus. Estar sempre pensando no Criador é libertar-se do sonho terreno de nascimento e morte.

Que você esteja tão repleto do amor divino que, dia e noite, seu coração só conheça a paz e a alegria do Pai. Vezes sem conta conversei com Deus, e vezes sem conta eu O repreendi pelo que aconteceu com a criação. Pois, aqui, somos primeiro tentados por Satanás. Se fôssemos tentados primeiro pelo Senhor, não quereríamos seguir os caminhos satânicos!

Sofrimento é a palavra-chave para esta criação, com todas as suas ilusões e desgraças. Além disso, um a um somos levados embora, sem saber para onde. Será que existe alguma felicidade nisto? Não, a felicidade só chega quando percebemos que o pesadelo da criação não é real e que só Deus é real.

Deixe que aqueles que querem o mundo o adorem. Quanto a você, prossiga na busca da suprema alegria do Espírito. O amor de Deus é eterno. Se você conseguir chegar a Ele, mesmo que só uma vez, será como a bússola que, por mais que você a gire, apontará a agulha sempre para o norte. A sua mente também se voltará sempre para o amor do Espírito. Não existem palavras para descrever esse amor.

Nenhuma alegria é real, exceto a do Espírito. Entretanto, a não ser que seu coração grite por Deus, você não O conhecerá. O coração das pessoas mundanas fica seco como o pó. E por quê? Porque elas gritam por tudo, menos por Deus. Você tem de gritar pelo Senhor! Grite por Aquele que já é seu; basta você perceber isso. O único propósito da criação é forçar você a resolver seu mistério, percebendo que Deus está por trás de tudo. O Criador quer que você busque somente a Ele, esquecendo todo o resto. Depois que tiver encontrado refúgio no Senhor, não terá mais consciência da vida e da morte como realidades. Você as verá como dualidades, que vêm e vão na eterna existência de Deus, assim como os sonhos vêm e vão quando dormimos.

O amor é a única coisa que se pode afirmar que Deus implora de nós. A única coisa que Ele quer é nosso amor. O manto de fumaça da ilusão se interpôs entre o Pai e nós, e Ele lamenta que O tenhamos perdido de vista. Fica triste, ao ver que Seus filhos sofrem tanto – morrendo por causa de bombas, de doenças terríveis e dos maus hábitos de vida. Ele sente muito, pois nos ama e nos quer de volta. Se, ao menos, você fizesse um esforço para estar com Ele, todas as noites! Ele pensa tanto em você! Ele não o abandonou, você é que abandonou o seu Ser. Você é o maior transgressor da própria felicidade, pois Deus nunca é indiferente a você.

Não esqueça este sermão, que Deus expressa com minha voz. Ele está dizendo: “Não esqueça! Sou tão indefeso quanto você, pois, como sua alma, estou preso no corpo junto com você. Enquanto não redimir seu Ser, continuarei encarcerado aqui. Não perca mais tempo, rastejando na lama do sofrimento e da ignorância. Venha! Banhe-se em minha luz!”

É porque Deus o quer que estou aqui, insistindo para que você volte para Casa, onde está meu Bem-amado e Cristo, Babaji, Lahiri Mahasaya, Sri Yukteswarji e os outros santos. “Venha”, diz o Senhor, “todos se rejubilam em mim. Nenhuma alegria mundana – o gosto de um alimento, a beleza das flores, os passageiros prazeres do amor terreno – pode se comparar às divinas alegrias de meu lar. Venha! Venha! Venha! Todas as noites, na meditação, você viverá Comigo no amor eterno. Lembre-se de mim! Lembre-se de meu amor!” É assim que o Senhor o chama. Só existe uma Realidade. É Ele. Esqueça o resto.

Quando um filho pródigo retorna, depois de ter fugido para o mundo da matéria, há júbilo no céu, e o novilho gordo da sabedoria é preparado, para comemorar a volta daquela alma ao reino de Deus. Você só precisa olhar para seu interior, e ver que Deus é um anfitrião maravilhoso, e que oferece todo tipo de entretenimento! Nele não existe tempo nem espaço – não há nenhum tipo de limitação.

A única maneira de encontrar o amor de Deus é entregar-se a Ele: domine a mente, para oferecê-la a Ele. Existem quatro passos ou estados de consciência. O ser humano comum é inquieto o tempo todo. No entanto, quando medita, consegue ficar calmo de vez em quando – mas ainda está inquieto na maior parte do tempo. Ao meditar mais, fica calmo metade do tempo e inquieto na outra metade. E, quando medita profunda e regularmente, passa a ficar calmo a maior parte do tempo e inquieto só de vez em quando. Por último, chega ao estado em que está calmo o tempo todo, e nunca inquieto.

O problema é que você não medita o suficiente e, por isso, não consegue atingir o estado de completa tranquilidade. Se todas as noites, quando todos estiverem dormindo, você enviar um constante fluxo de orações a Deus, Ele responderá. Diga: “Senhor, esta vida é Tua, e não posso viver sem Ti. Tens de vir a mim.” De que adianta orar, se não for por isso? Preces mecânicas são um arremedo de oração e estão erradas.

A ilusão de maya tenta manter a atenção do ser humano presa a tudo, menos à Alegria Divina. Entretanto, na agenda do ser humano, o compromisso com Deus deve ser prioritário.

No início do treinamento espiritual com meu Mestre Sri Yukteswarji, quando sentávamos para meditar juntos ao anoitecer eu ficava inquieto, ao se aproximar a hora de minha partida do eremitério de Serampore, para pegar o último trem de volta para Calcutá. Desprezando meu estado mental, o Mestre não me liberava com a presteza que eu queria, e eu tinha de correr bastante, todas as noites, para pegar o trem. Quando descobri que minha preocupação com o horário do trem não comovia o Mestre nem um pouco, fiz questão de acabar com a ansiedade que me perturbava. Imediatamente, meu guru passou a me liberar, dando tempo mais do que suficiente para pegar o trem.

Sri Yukteswar me deu um treinamento maravilhoso! Eu gostaria que as igrejas deste país, com o tempo, também proporcionassem um treinamento semelhante! Se o dever do pobre sacerdote é proporcionar entretenimento a vocês todos os domingos; o objetivo primordial da igreja não está sendo cumprido. Deus começa onde cessa o movimento. A palestra de hoje é para ajudá-los a sentirem o que sinto. Os Mestres da Índia não ensinam falando: apenas sentam e meditam com os discípulos que chegam até eles.

O único meio de alcançar a salvação é ser totalmente leal a Deus. Um dia, o sonho da vida terminará para você; a única coisa real é o amor do Criador. Nada mais: todo o resto são sonhos falsos. Fuja deles. A cada minuto, vejo como isso é necessário. Deus me ligou à obra da SRF e eu Lhe digo: “Trabalho só para Ti.” E sinto interiormente a suprema alegria divina.

Como Deus foi bondoso para com este devoto sem merecimento! Jamais poderia imaginar que, um dia, eu ganharia Deus. Na verdade, tinha pena de mim mesmo, dizendo: “Senhor, Tu amas os Teus santos, mas por que não me amas?” No entanto, descobri que Ele ama igualmente a todos. Mas, primeiro, você tem de mostrar ao Criador que, de coração, não deseja mais nada. Se não renunciar ao desejo do conforto físico, do sono e de todas as outras coisas, não poderá conhecê-Lo. Deve pensar no Amado Divino, noite e dia. Então, seu coração estará sempre cantando.

Pratique a presença de Deus. Siga as Lições da SRF e estude-as diariamente. E medite. Use as noites para conversar com Deus. Esqueça o sono – ele não tem importância. Não se preocupe com o “amanhã”. Não vá para a cama enquanto não tiver comungado com Deus.

Os preguiçosos nunca entrarão no reino de Deus. Não tenha medo do trabalho duro: vença o corpo mentalmente. Quando estiver trabalhando, pense sempre: “Senhor, não posso me esquecer de Ti.”

E medite o tempo inteiro. Queira Deus com tamanha força que seria capaz de rolar no chão de ânsia por Ele. Grite por Ele. Não olhe o relógio. Não se preocupe se Deus responde ou não, pois isso coloca uma condição em seu amor. Ele está ciente de cada grito que você dá: quando entregar completamente o coração a Ele e a dança macabra do karma tiver acabado, o Criador queimará o véu de maya para você e, então…onde estará a morte? Onde estará a velhice? E o sofrimento? Nada permanece além de Sua luz. Essa é a verdade.

Medite todas as noites. No silêncio noturno, renove o romance com Deus no retiro da consciência, para além do alcance dos ruidosos sentidos. No refúgio do Infinito, sob a Alegria divina e extasiante, comungue eternamente com o Amado do universo.

 

* * * * * *

Trechos da Bíblia: Versão de João Ferreira de Almeida
Trechos da Autobiografia de um Iogue: Tradução oficial                    Rio de Janeiro – Cópia 2004/05/08\11/14/17

 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
O material Self-Realization Fellowship Readings (Leituras para serviços da Self-Realization Fellowship) foi selecionado de publicações da SRF, com reserva de direitos autorais da Self-Realization Fellowship. Este material não pode ser traduzido para nenhum outro idioma, reproduzido sob qualquer forma ou distribuído, sem autorização da Self-Realization Fellowship, 3880 San Rafael Avenue, Los Angeles, Califórnia 90065, EUA.

Observação: esta é uma tradução não-oficial. Não foi revista nem aprovada pela Sede Central.